Inicio / Texto / 33 relatos com as coisas mais idiotas que as pessoas já fizeram bêbadas

33 relatos com as coisas mais idiotas que as pessoas já fizeram bêbadas

relatos-bebados

01 – “Eu bebi demais em uma festa de formatura em um clube e, no desespero de vomitar, corri e vomitei pela janela, mas só vi depois que a janela não dava pra fora, era só uma parede dividindo ambientes da festa”. — Fernando Cassemiro

02 – “Peguei um táxi para casa, mesmo sabendo que meu pai estava no mesmo evento que eu e eu voltaria de graça com ele. Me custou R$ 72”. — Alexandre Cisneiros Filho

03 – “Dormi na sala, passaram Colgate na minha cara, acordei e sai correndo atrás das pessoas – eram dois amigos – por um corredor, no fim um deles vira à direita, o outro vira à esquerda e eu, bêbado, não consigo. Bati com toda a força na parede. Meu ombro e joelho são machucados até hoje, seis anos depois”. — Matheus Freitas

04 – “Eu também já dei coma alcóolico na festa da cidade, e fui achado, desmaiado, no chão, pelo meu pai. Enquanto eu tava recebendo atendimento, meu pai falava com o médico: ‘meus filhos não bebem, eles não fazem esse tipo de coisa, são tudo menino tranquilo’. Aí nisso, entra meus amigos na parada, carregando meu irmão mais novo QUE TAMBÉM deu game over naquela noite. Foi bem loko aquele dia”. — Alexandre Sampaio

05 – “Mano, eu entrei numa van sem freio toda grafitada, cheia de argentinos, que eu nao sabia pra onde ia. Eu estava em Cusco, no Peru. A van bateu em um muro. Todos ficaram bem”. — Ana F.*

06 – “Saindo da festa da firma, completamente destruída, entrei em um carro vermelho, achando que era o da minha amiga. Mas, na verdade, o veículo era de uma outra pessoa que, ao me ver, gritou: “SAI, FEIA”. Acho que ela estava imprestável que nem eu”. — Natália Eiras

07 – “Tomei um porre no ano novo, abracei uma menina que não suporto e disse que gostava dela porque ela tava me dando whisky, isso depois de já ter tomado cerveja e vodka, finalizei com tequila e fui vomitar no banheiro enquanto uma galera jogava videogame de futebol no quarto do lado. A cada gorfada barulhenta que eu dava, eles comemoravam como se fosse gol” — Carolina Bicudo

08 – “Fui no campeonato de cerveja da faculdade do meu namorado e depois de uns 4 latões eu comecei a ir no banheiro de 5 em 5 segundos, só que eu não conseguia abrir minha calça então saí por todos lugares chorando e gritando ‘PFVR ALGUÉM ABRE MINHA CALÇA EU PRECISO MIJAR’”. — Gabriela Duarte

09 – “Fiquei bêbado na festa de comemoração do Vasco campeão da série B em 2009 e falei para o Fumagalli que ele jogava muito mal. Detalhe: eu era repórter e estava trabalhando”. — J.*

10 – “Saí andando pelo condomínio com algumas garrafas de vinho. Parei no parquinho, deitei na grama, cochilei, depois levantei, entrei numa festa de bicão que estava tendo numa mansão. Veio uma mulher, perguntou se eu tava bem e eu saí correndo. Passei por uma casa e tava brincando com um cachorro, aí um cara começou a falar pra eu deixar os cachorros dele em paz. Eu comecei a discutir com o cara, aí os guardas do condomínio vieram atrás de mim. Eu brinquei com eles, disse que eles eram gatos e dei vinho pra eles. Eles foram me acompanhando até perto de casa… aí ali fiquei e dormi na rua. No outro dia, me ligaram da portaria pra eu ir lá, pq tinha que assinar o livro negro… tipo escola”. — Olivia Barbosa

11 – “Cheguei em casa lôca e precisavam que eu manobrasse os carros na garagem. Bati os dois. Fim”. — Patrícia Sanchez

12 – “Tava na praça com os amigos, bebemos pra cacete, e quando eu tava bêbado tive a brilhante ideia de pedir um pedaço de pizza pra alguém que estava na pizzaria. Cheguei na pizzaria, fui em uma mesa qualquer e pedi um pedaço. O problema era que minha mãe tava na mesa com as amigas”. — Matheus Xavier

13 – “Certa feita, cheguei bebaço de outro churrasco da faculdade e o meu amigo falou que tinha deixado frango frito pra mim na cozinha. Aí eu ouvi que tava rolando uma treta na portaria do condomínio e resolvi ir lá assistir. Com o saco de frango frito. Fiquei lá, no meio da treta, com polícia e tudo, sentado num banquinho e comendo frango frito bem de boas”. — Evandro Voltolini

14 – “Saí contribuindo com diversos projetos no Kickstarter, entre eles um que prometia criar um chip que, inserido numa barata, tornava possível controlá-la por celular”. — Alexandre Orrico, nosso próprio repórter

15 – “Briguei com dois skatistas porque aparentemente ‘eu não achava certo eles ficarem brincando de skate na rua sem a mãe deles saber’. Quase apanhei de um cara porque entrei no carro dele quando ele estava abastecendo, porque achei a mulher dele linda, e terminei a noite dentro da lixeira numa lanchonete de um amigo meu”. — Lucas Ferreira

16 – “Primeira vez no Rio de Janeiro, carnaval. Fiquei bêbada e decidi que queria encontrar uns outros amigos. Me perdi e um menino parou para me ajudar. No meio do caminho fomos parando pra encontrar uns amigos desse menino e fomos bebendo, quando percebi eu já me considerava melhor amiga daquelas pessoas e decidi que não queria mais encontrar meus amigos.
Acordei de manhã num hostel com um monte de gente ao meu redor. Não avisei nenhum dos meus amigos e meu celular estava sem bateria. Esse menino que eu encontrei foi me levar embora, eu nao sabia qual era a rua exatamente e ficamos uma hora dando volta em quarteirões até eu reconhecer o prédio. Meus amigos estavam desesperados porque eu sumi durante umas 12 horas. Mas só perdi uma blusa nesse processo todo e até hoje sou amiga do pessoal que eu conheci no Rio”. — Natalia Simon

17 – “Eu costumo teleportar quando fico bem ruim, como na vez em que dormi no chão da sala e acordei dentro do tanque de lavar roupa”. — Marcos Marinho

18 – “Acho que a maior burrice que eu fiz bêbado na vida foi conhecer a minha ex”. — Ariel Cardozo

19 – “Uma vez bebi uma garrafa e meia de tequila com uma amiga. Lógico que eu não lembro de nada. Mas meu irmão e minha mãe lembram. Enquanto eu levava esporro da minha mãe, meu irmão tentava me tirar de perto dela porque eu só conseguia rir. E quando ele finalmente conseguiu me puxar, eu tirei força e coragem do âmago do ser, levantei os dois braços e mostrei os dois dedos do meio pra minha mãe e comecei a gargalhar alto “HA HA HA HA HA”. E fui sendo puxada pela porta. Enquanto minha mãe ficava enfurecida na cozinha. No dia seguinte ela nem olhava na minha cara”. — Juliana Cazelgrandi

20 – “Taquei bituca de cigarro no vestido de formatura. O vestido pegou fogo. Corri em chamas pra fonte decorativa pra apagá-lo”. — Faby Montandon

21 – “Teve uma vez que cheguei bêbada com minha irmã e cunhado e resolvi jantar, peguei um prato e duas facas (?) e coloquei o prato vazio no microondas, minha irmã perguntou o que eu tava fazendo e eu respondi ‘Não acende!’ E ela ‘o que não acende? O que você tá tentando fazer?’ E eu continuava: NÃO ACENDE! NÃO ACENDE! NÃO ACENDEEE. Aí ela teve que me ajudar, colocou comida no meu prato e tal. E quando fui jantar eu comecei a chorar”. — Railuandy Marcelino

22 – “Bebi muito antes de viajar, cheguei na rodoviária e gorfei em um balde de limpeza, fui no banheiro, perdi minha passagem e fiquei chorando no chão”. — Caio Menezes

23 – “Uma vez que bebi o dia todo e fui dormir na casa da minha amiga, acordei na madrugada de ressaca e morrendo de dor de cabeça, fui pra cozinha procurar dipirona, tomei e voltei a dormir. Acordei no outro dia ótima! Fui comentar com minha amiga que dipirona é ótimo pra dor de cabeça e tal, aí ela disse: Que dipirona? Aí eu: a que tomei ontem, tava lá no ármario. Ela olhou e disse: venha me mostrar essa dipirona. Quando chegamos no armário vi que tomei o remédio de ouvido do irmão dela”. — Geruíza Barros

24 – “Certa feita tomei black russians demais e acordei nu no hall de meu quarto no dormitório da faculdade. Minhas roupas estavam em meu quarto, eu não. Ainda não sei o que aconteceu”. — Marcelo K*.

25 – “Tava num open bar numa inauguração de uma casa noturna, saí de lá sozinha cambaleando até outra open da faculdade, chegando lá descobri que meu ficante tava ficando com outra menina, então eu fula da vida bebi mais um pouco e sabe Deus porquê chamei a menina para conversar e COMECEI A DAR EM CIMA DELA. Depois disso travei e só lembro de acordar no outro dia toda encharcada, com a roupa suja de tinta azul (?), na casa dessa menina onde ela morava com outras cinco pessoas”. — Helena Gonçalves

26 – “Fui tocar o interfone de uma ex às 3 e meia da manhã. Quem atendeu foi o namorado dela, e eu fingi que tava lá pra pegar Street Fighter 4 emprestado. Ele levou o jogo pra mim na portaria”. — Lucas Ferreira

27 – “A única vez que eu fiquei bêbada foi quando eu tinha 5 anos e estava passando a virada de ano com a minha família. Como era criança gordinha, achei que espumante era Sprite e saí tomando os restos das taças dos familiares. Segundo meu irmão eu fiquei vermelha, dancei no meio da velharada, acordei vomitando e passando mal. Fim!” — Chica Baptista

28 – “Tinha um cara dançando break e eu precisava responder à altura, mas eu não sei fazer isso. Achei que seria uma boa ideia rolar no chão. Sim, fiquei igual a um rolo compressor no chão da balada, de um lado para o outro”. — Carolina Neves

29 – “Uma vez, bêbado na casa de um amigo, eu gorfei no RG da mãe dele; aproveitei que ninguém tava vendo e tentei fugir da casa, mas disparei o alarme e a família toda do cara acordou. Nunca mais bebi”. — Gabriel P.*

30 – “Teve uma vez que eu e uns amigos perdemos um chinês numa praia em Floripa e só achamos 24 horas depois, o coitado era intercambista e não falava português”. — Guilherme Nagüeva

31 – “Fui pra Brasília e na primeira noite fomos numa choppada da Federal de lá, era open de catuaba e cada um ganhava 1 litro na entrada da festa. Moral: voltamos muito bêbados num carro, não aguentamos e pulamos do carro rolando pela grama pra vomitar. Quando nos demos conta estávamos literalmente debaixo do monumento do JK. Um policial parou pra nos levar pra delegacia mas ficou com tanta pena que só nos mandou sair do plano central”. — Rafu Cavalcanti

32 – “Na minha despedida do intercâmbio, quando morei em Paris, eu e meus amigos matamos muitas garrafas de vinho com vodka (combinação maravilhosa) na beira do Sena, e eu, com calor, resolvi nadar. Nadei uns 30 metros no rio Sena até achar uma rampa e depois tivemos que ir embora porque uns policiais ficaram olhando”. — Caio L.*

33 – “Fui a um show e enchi a cara de caipirinha vagabunda. Vomitei no banheiro, vomitei no meio do pessoal que tava vendo o show e ainda mostrei pra galera minha nova ‘técnica de vomitar sem se respingar’ (uso até hoje). Na saída do show, tretei com um segurança e tentei parar dois microônibus: um com um tapa e outro sentando no meio da rua”. — Renato S.*

Deixe no comentario sua historia.

Via: BuzzFeed Por: Clarissa Passos

Você pode gostar!

tabua-ouija

3 Relatos assustadores sobre Tabua Ouija

Usar um tabuleiro ouija para se comunicar com espíritos é algo que já era usado …