Eu não consigo conversar com meninas


Share via

Oi pessoal, esse é o Jacob. Qual é a coisa mais desafiadora da vida? Fazer acrobacias? Tocar um instrumento musical? Ciência especial? Pra ele, era algo totalmente diferente: conversar com meninas. Agora ele entende melhor disso, mas antes… bem, ouça a história e você vai descobrir. Como muitos outros caras da escola, Jacob sempre foi bastante tímido. Ele se escondia debaixo do capuz da blusa, e só conversava com sua turma de amigos. Você conhece bem o tipo – só um monte de caras invisíveis com os quais ninguém se importa. Naquela época, ele estava satisfeito com o jeito que as coisas estavam.

Mas tudo mudou quando ele viu a Helen. Ela era novata na escola, e legal e linda, então Jacob imediatamente se interessou por ela. Ele nem comentou nada com os caras, pois eles com certeza iriam zombar dele, mas perceberam assim mesmo. Ele não conseguia disfarçar: toda vez que a Helen passava, o garoto a acompanhava com os olhos.

CLARO, eles zombaram dele, mas depois se propuseram a ajudar. Todos leram alguns artigos na Internet, afinal obviamente nenhum deles tinha tido namorada. Eles começaram a dar conselhos amorosos, mas não dava pra confiar muito. Eles disseram que as meninas gostavam de caras que não tinham medo de mostrar sua dominância, seu status-alfa ou alguma coisa do tipo. Essas meninas nunca se interessam por caras bonzinhos, pois acham que não são machos o suficiente.

E… ele seguiu os conselhos deles! Bem, pelo menos tentou. Jacob ensaiou na frente do espelho, fazendo caras e bocas e fechando um pouco os olhos para parecer tranquilo e desinteressado, e depois tentou corrigir sua postura corporal – por exemplo, abrindo mais as pernas e jogando os ombros para trás.

A outra parte foi mais desconcertante – tentar algumas cantadas.
Jacob se imaginou encostando na parede do lado dela e dizendo alguma coisa tipo “E aí, gata?”. É engraçado lembrar disso, mas é também muito constrangedor.
Mas essa não foi a pior parte. Um dia, Jacob se aproximou da Helen na escola, tentando colocar os conselhos amorosos dos amigos em prática. Mas o plano foi um fiasco.

Primeiro, seu coração estava acelerado, e ele provavelmente estava suando também. Ele deu uma conferida na linguagem corporal e se aproximou dela. Encostou na parede como tinha planejado, enquanto ela estava tirando alguma coisa do armário dela, e depois disse algo tipo “e aí…”. O problema é que a voz saiu quebrada, como se ele estivesse em um deserto há uma semana, e também aguda, como se ele tivesse cinco anos de idade. Quando a Helen olhou para Jacob, confusa, o garoto tentou manter contato visual, mas em vez disso ficou encarando ela com os olhos arregalados. Teve um momento em que até se esqueceu de piscar, então seus olhos começaram a arder.

“Você está bem?” – a Helen perguntou. Foi um desastre. Os amigos estavam observando de longe, e não conseguiram mais segurar o riso.
“Tá tudo bem”, Jacob disse, com a voz de uma múmia seca, e depois a Helen saiu, confusa. À essa altura, seus amigos estavam rolando no chão de tanto rir.

Dias depois do desastre, ele continuava a pensar que era um perdedor e que nunca teria uma namorada. Jacob olhava para os caras mais bem-sucedidos da escola e sentia inveja. Eles eram superconfiantes e não tinham problema algum em conversar com as meninas. O garoto achava que se tratava de sorte – ou você nasce perdedor, ou nasce vencedor, não tem meio termo.

Um dia, na escola, ele começou a conversar com uma colega de turma, a Penny, sem segundas intenções, ou sem querer ser quem não era. Eles simplesmente conversaram e ele elogiou os desenhos dela (a garota gostava de desenhar). Jacob fez algumas brincadeiras e ela riu. Depois eles continuaram conversando todos os dias. Jacob nunca tinha conversado com ninguém daquele jeito. Foi muito bom.

Depois de algumas semanas, ele a convidou para sair. Simples assim, sem nenhuma cantada. Jacob só disse que a achava muito legal e bonita. Talvez isso tenha sido um pouco estúpido, mas foi sincero. E… ela disse sim!

Depois de um tempo, eles começaram a namorar e, para o Jacob, ela é maravilhosa. Ele acha estranho não ter reparado na garota antes. E também pediu desculpas a Helen por ter se comportado de forma tão estranha naquele dia, e a garota entendeu perfeitamente.

Você pode estar esperando que ele diga algo do tipo “é só ser você mesmo, que vai dar tudo certo,” mas não é bem assim que as coisas funcionam. Você tem que ser sincero, claro, mas tem que ser legal também. Tipo, muito legal – não só tentar fingir que é. Ser confiante é importante, mas nunca dê ouvidos a quem diz que você tem que ser um “bad boy” para conquistar uma garota. A confiança tem mais a ver com o respeito que você tem por si mesmo e pelos outros do que com tentar se comportar de determinada forma.

Auto ajuda


Compartilhe com os seus amigos!

Share via

Send this to a friend