Meu namorado é um controlador e passou dos limites


Share via

Meu namorado é um controlador e passou dos limites

Essa é a Gina. Você acha possível que alguém ame você demais? Bem, isso é exatamente o que aconteceu com ela!

Ela conheceu o Luis na escola e a primeira vez que o viu achou que era um garoto lindo, com o sorriso mais bonito que já tinha visto. Todos os dias, ela se sentava esperando que ele a notasse e, finalmente, isso aconteceu! Ele foi até Gina e perguntou se ela estava livre naquela noite, e esse foi o momento mais feliz de vida dela.

Eles foram ao cinema e depois deram um passeio num parque, e foi super-romântico. Não muito tempo depois, começaram a namorar, e as primeiras semanas foram perfeitas – eles se viam todos os dias, e ele sempre dizia como ela era bonita. Quando eles não estavam juntos, o rapaz mandava mensagens o tempo todo, dizendo o quanto a amava e que sentia falta dela. Era tão maravilhoso.

Mas às vezes Gina estava ocupada com a escola ou vendo suas amigas e durante esse tempo ele enviava mensagens sem parar. Um dia ela estava fazendo o dever de casa e, quando terminou, olhou para o telefone e havia CENTENAS de mensagens e chamadas perdidas.

Ela ligou para Luis e disse: “Sinto muito por não responder, eu estava ocupada com o dever de casa.” Ele disse “ok, mas me ligue da próxima vez, porque eu fiquei preocupado”. Foi bem legal na primeira vez, mas depois aconteceu de novo e de novo. Cada vez que ela não conseguia responder imediatamente, mesmo que fosse durante uma aula, ele entrava em pânico.

Uma vez ele até bateu na porta de uma sala de aula e perguntou à professora se ela poderia sair. Foi tão embaraçoso!

Luis sempre queria estar com Gina, o tempo todo. Ele ficava visivelmente chateado se ela decidisse passar algum tempo com suas amigas em vez dele. Honestamente, aconteceu uma espécie de desligamento neste momento: é difícil gostar de alguém que não lhe dá espaço. Ela contou a suas amigas e elas a acharam egoísta, pois ele claramente a amava muito.

Claro, elas não ajudaram, só pioraram a situação. Ele esperava que Gina saísse da aula depois de cada período e insistia para que ficassem sempre juntos. Nesse ponto, até as amigas perceberam que algo estava errado.

Quando ela lhe disse que queria passar algum tempo longe dele, Luis ficou bravo e disse: “você não me ama mais!” Ela teve que provar que ele estava errado, então o único momento que podia ficar sem ele era quando estava em casa, e mesmo assim o rapaz ainda mandava mensagens, constantemente.
A gota d’água para Gina foi quando ela estava conversando com um garoto chamado João, um colega de classe, sobre o projeto que eles estavam fazendo juntos para a escola, e Luis veio até eles, olhou diretamente nos olhos de rapaz e disse: “pare de falar para ela, ela é minha!”.

João levantou-se e saiu, murmurando: “maluco”. Gina ficou muito envergonhada e disse para Luis, “isso não está certo, você se comporta como um perseguidor, você pode por favor parar?” Mas ele apenas respondeu: “Eu faço porque eu te amo!”.

Ela não sabia por que Luis agia assim, mas já não o via como o garoto legal e confiante que ela pensava ter conhecido antes – seus sentimentos em relação a ele haviam mudado. Então, mais tarde naquele dia, ela disse que não queria mais namorar com ele. O garoto implorou para que ela reconsiderasse e disse que sentia muito uma centena de vezes, e quando insistiu no “não” ele ficou bravo e insinuou que ela gostava do João e era por isso que ela estava rompendo com ele!

Luis mandava mensagens para ela todos os dias durante duas semanas, dizendo o quanto sentia sua falta, e Gina precisou repetir várias vezes que não queria mais sair com ele. Por alguns dias o rapaz ficou em silêncio, e ela achou que, provavelmente, ele estava seguido em frente, mas depois…

Luis ligou para ela e disse: “você pode, por favor, olhar pela janela?” Ela olhou e viu um monte de velas acesas que formavam as palavras “eu te amo”. Foi tão estranho! Ela saiu e tentou explicar que ele era um cara legal, mas não gostava desse nível insano de controle. Ele ficou chateado, como se estivesse segurando as lágrimas, e Gina sentiu pena dele.

Ele disse que Gina era sua primeira namorada e que sentiu medo de perdê-la, por isso agiu daquele jeito, e não notou o que estava acontecendo até que seu irmão mais velho chamou sua atenção. Ele perguntou se eles poderiam começar de novo e prometeu que seria melhor desta vez.

Gina queria dizer “sim”, mas não pôde, e recusou educadamente. E se sentiu tão mal com isso, como se ela fosse uma pessoa ruim por recusar, mas algo dentro dela dizia que tudo aconteceria de novo.

Gina acha que uma pessoa não deve manter um relacionamento se não se sentir confortável, mesmo que tenha pena de alguém. Luis não é uma pessoa ruim, mas ele deveria ter lidado com suas inseguranças antes de iniciar um relacionamento.

Versão vídeo:


Compartilhe com os seus amigos!

Share via

Send this to a friend