6 coisas que eram melhores antes da internet


Share via

6 coisas que eram melhores antes da internet 2

AMIZADE:
Antes as pessoas sabiam onde seus amigos moravam, quem tinha mau-hálito, perna manca ou era bom no video-game. Hoje é normal ter 784 amigos no Orkut e manter contato com apenas 20.

AMOR:
Na era pré-internet não se amava tantas pessoas desconhecidas como hoje. Atualmente, “eu te amo” é dito para qualquer um e se deixa de amar com a mesma rapidez.

PROTESTOS:
Até outro dia, um protesto era caracterizado por um monte de pessoas nas ruas gritando contra algum tipo de abuso. Hoje, um protesto é colocar uma hashtag no topo dos Trending Topics do Twitter.

DISCUSSÕES:
Quando algum assunto polêmico surgia, era comum que as pessoas perdessem muito tempo discutindo de forma acalorada, às vezes terminando no tapa. Agora é mais fácil pesquisar a resposta no Google. Ninguém mais precisa discutir e os debates fervorosos viraram lembrança.

MENTIR:
Tempo bom era aquele em que você podia dizer que estava doente para faltar a um compromisso. Mas, tente dizer hoje para sua namorada que não pode jantar com os pais dela por estar passando mal. Ela vai fuçar no seu Facebook e ver aquela mensagem que você mandou pro seu primo, combinando de ir pra balada.

PRODUTIVIDADE:
Aposto que você já falou que ia ler só mais algumas atualizações do Twitter e depois pegar firme no trabalho ou estudo. E isso realmente aconteceu… 1 hora e meia depois.
O fato é que sempre tivemos distrações. Antes a preferida era a televisão. Agora, você lê os posts do Twitter, scraps no Orkut e carrega um vídeo no Youtube, enquanto alguém chama sua atenção no msn. Acaba tudo e começa de novo.


Compartilhe com os seus amigos!

Share via

Um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. [Novamente…]

    As pessoas não tinham 784 amigos, isto é, sabia-se da moradia, ou do mau hálito, ou algo que caracterize amizade para você sobre todas as 784 pessoas? Acredito que não. 20 é um bom número de amigos reais, não acha? Pra ontem e pra hoje.

    Eu concordo que aconteceu uma banalização de “eu te amo”, ou “t amo”. Porém vale dizer que a sociedade se adaptou ao significado do termo no mundo virtual, aqui é um outro significado. De qualquer forma, o termo foi muito vulgarizado na internet, pelas pessoas.

    Então… é verdade que a sociedade tornou-se mais cômoda, ou até negligente, mas não acredito que o surgimento da internet seja o principal fator. Pelo contrário, acho que a internet proporciona um novo espaço para o protesto, e um espaço democrático que inclusive aproxima o protestante do seu alvo de protesto. Existem sites de apelo mundial para esse tipo de coisa. Com a internet ganha-se voz, uma voz alta.

    E continuando… aqui acho que foi o maior equívoco no texto. Fóruns de discussão [ponto]. Estão aí desde quase sempre. Ainda tem-se blogs, vídeologs-casts, as rádios online, os comentários!, etc. E convenhamos que um debate terminado em tapa sobre um tema que poderia ser resolvido com uma googada não é um bom debate. Tantas discussões surgem de visões, formações e informações diferentes, ou de um tema interpretativo, relativo… enfim, e para estas discussões não se encontra a resposta em páginas do google.

    Mentir é muito mais fácil hoje. Na rede há situações em que existe apenas um “compromisso virtual”, o que da caminho para o enganador – que nem sempre engana.

    Quanto a produtividade realmente é verdade, mas volto a dizer, a internet não tem nada com isso. Quem não quer trabalhar sempre arruma um motivo, não é? A questão aqui é disciplina.

    Eu penso que realmente existem alguns problemas que a internet indiretamente causa. O mais preocupante – excluindo possíveis fatores ambientais do assunto – ao meu ver é o isolamento do indivíduo, o vício.

    Até.

Send this to a friend