Texto

Dicionário do gato, para você entender melhor seu bichano

Há quem acredite que os gatos são criaturas egoístas e arrogantes, daquelas que não ligam para ninguém. Contudo, descobertas recentes feitas por especialistas na área revelam que os gatos domésticos são bichos muito mais amáveis e dóceis do que você pode pensar. Só que não são todas as pessoas que conseguem entender o que seus pets querem ’dizer’. Talvez seu gatinho esteja declarando todo amor do mundo e você sequer esteja se dando conta.

Dicionário do gato, para você entender melhor seu bichano


O gato se aproximou e posicionou o “bumbum” bem no seu rosto.

Esse comportamento é uma ferramenta de interação felina. Significa algo como “Oi, tudo bem?” Gatos que convivem no mesmo território geralmente cheiram uns aos outros várias vezes por dia. Esse é um sinal de que seu pet confia em você, e que quer simplesmente cumprimentá-lo.


Lambe suas mãos e morde seu corpo em busca de “pulgas”.

O gato te considera um membro de sua manada. Um membro jovem e provavelmente insensato. Ele se preocupa com a sua higiene, pensando que você é incapaz de se lamber (e se limpar) por conta própria.


Cheira seu rosto (ou o rosto de outro gato).

Essa é uma forma de cumprimentar. O gato está entediado e não quer ficar sozinho por muito tempo.


Vira de barriga para cima. Seu pet confia totalmente em você.

Mas tenha cuidado na hora de acariciar a barriga do gato, pois alguns deles não curtem contato físico nessa parte do corpo. Em primeiro lugar, a pele nessa região é muito sensível. Segundo, porque o animal sentirá o instinto de proteger a área do próprio corpo que considera vulnerável, o que pode resultar numa mordida. Às vezes, os gatos viram de barriga para cima quando estão diante de um inimigo em potencial, mostrando que não representam perigo em potencial e que o inimigo pode seguir seu caminho.


O gato deita ao seu lado.

É assim que o animal demonstra estar em busca do seu apoio. Ou talvez esteja apenas se esquentando ou insinuando que está na hora de comer.


Deita de lado com as patas traseiras estendidas.

Essa é a posição da calma: você pode se aproximar e acariciar seu dono, digo, seu gato.


Deitar com as patinhas dobradas.

O pet está de bom humor, se sentindo tranquilo e em paz. Talvez esteja com um pouco de frio, por isso dobra as patas. Ele pode estar pensando: “Liga logo esse aquecedor, humano!”


Focinho para cima e bigodes para a frente.

Seu pet está ’no céu’, curtindo a vida ao máximo. Essa postura equivale ao sorriso humano.


O gato cheira sapatos ou meias e, de repente, abre a boca.

Talvez você ache que ele ficou incomodado com o cheiro desagradável. Mas a verdade não é essa. Nos felinos, o órgão de Jacobson (ou órgão vomeronasal) fica no palato, e só é usado diante de odores que despertem grande interesse.


O gato baixa a cabeça e deixa os olhos entreabertos.

É porque ele não quer interagir. Se os olhos entreabertos não forem suficientes, o gato pode virar a cabeça para o outro lado. E mais: gatos não costumam gostar de posar para câmeras, preferindo virar de costas nesses momentos.


Dá as costas.

Você brigou com o gato por alguma travessura que ele fez, e o bicho lhe deu as costas? Não é que ele esteja te ignorando, e sim tentando se acalmar e também deixar você mais calmo. É assim que gatos mais velhos se comportam com os filhotes.


Passa ao seu lado, com a cauda erguida e levemente trêmulo.

Ele percebeu sua presença, mas nessa hora não tem tempo para brincar com você: tem coisas mais importantes para fazer.


Orelhas baixas e viradas para os lados. Esse é outro “gesto” calmante.

Se você ou seu filho tentarem acariciar o gato e ele baixar as orelhas, é porque não está satisfeito com as carícias. O animal pode até não ficar agressivo nem atacar, mas certamente não está gostando do que você está fazendo.


Lambe a si mesmo depois de você fazer um carinho.

Seu gato é basicamente um predador, ainda que nunca tenha visto um rato na vida. Por isso, ’tira’ outros cheiros do próprio pelo para que a vítima em potencial não perceba odores estranhos.


Dorme com o focinho debaixo do cobertor ou virado para a parede.

Isso significa que o ambiente está muito barulhento. O gato tenta se isolar dos sons que considera incômodos.


O gato gosta de deitar entre dois cômodos da casa.

Parece até que ele fica em dúvida em relação a aonde ir, ou que está esperando que você tropece nele. Na verdade, o gato está “trabalhando”, protegendo o próprio território.


Baixou o focinho e ergue a parte posterior do corpo.

Viu algo tão perigoso quanto interessante. Seu pet está inquieto, e nessas horas é melhor não encostar nele.


Fuja enquanto é tempo

Normalmente, os gatos não atacam logo de cara. Eles costumam “avisar” antes de arranhar ou morder. E você deve saber como um gato irritado se comporta, até para não correr o risco de sair arranhado. Confira os sinais da agressividade felina:

  • Cabeça e cauda erguidas
  • O gato move a cauda lateralmente e emite um grunhido
  • Olha diretamente em seus olhos
  • Quando está nervoso, o gato joga orelhas e bigodes para trás.

Você tem gato em casa? Acha que consegue compreender seu bichano? Comente!

Animais de estimação

Fechar