16 histórias engraçadas de bêbados que vão fazer você pensar duas vezes antes de encher a cara


Share via

Uma das coisas mais comuns hoje em dia é sair para beber alguma coisa. Com isso, queremos dizer tomar algum tipo de bebida alcoólica. Cada vez podemos encontrar mais rodas de amigos num bar, em reuniões de família ou qualquer outra ocasião. No entanto, nem toda “noite de bebedeira” acaba bem e muitas pessoas perdem o controle. Existem histórias que chegam a ser hilárias e engraçadas, onde algo absurdo aconteceu sem deixar qualquer pessoa ferida.

E foi pensando nisso que nós do Tediado resolvemos trazer essa matéria. A fim de trazer alegria para nossos leitores, listamos algumas das historias de bêbados que você vai ver na vida. Algumas são até difíceis de acreditar.

16 histórias engraçadas de bêbados que vão fazer você pensar duas vezes antes de encher a cara

1 – Começando por um clássico erro de principiante:

“Eu estava caindo de sono, de barriga vazia e fui beber. Acabei misturando muita coisa e vomitei. Peguei no sono lá mesmo e bati o nariz no vaso sanitário. Acordei assustado com o nariz quebrado.”

2 – Aquela noite com um final não tão feliz:

“Uma vez eu e meu namorado fomos na casa de um amigo para beber e ficar conversando. Nós comemos pouco e eu e meu amigo bebemos Corote com leite condensado… Pra quê, né? Eu já sou fraca pra bebida e aquele negócio doce… fiquei bêbada rapidinho. Meu amigo foi pra uma festa e eu e meu namorado ficamos na casa dele. Uma hora fui no banheiro e quando voltei tive uma CRISE DE CHORO DE MAIS DE TRÊS HORAS. Coitado do meu namorado, quando ele achava que eu estava me acalmando já recomeçava o chororô.”

3 – Caindo de pára-quedas no mundo do álcool:

“Na primeira vez que bebi, já foi com vodka. Voltando para casa com a família, resolvi pular do carro em movimento em uma avenida e entrei pulando o muro ao invés de entrar pelo portão de casa. Acordei toda machucada no dia seguinte.”

4 – Quem nunca tentou fazer ciúmes em alguém?

“Estava numa baladinha e fui dançar com um cara para fazer ciúmes em outro. Pois bem, desloquei o joelho, meus amigos todos em volta tentando me ajudar, e saí de maca e ambulância.”

5 – Veloz e furiosa:

“Teve uma vez que fui no aniversário de um amigo meu que começou umas 9h da manhã, e quando eram umas 17h, minha amiga estava com um peguete no sofá. Como era raro ela aparecer em público com alguém, eu fui tirar foto. Eles estavam em cima de um ‘deck’ com um degrau gigantesco, e eu fui por trás do sofá, tirei a foto deles e fui indo pra trás, acabei caindo do degrau e torci o pé. Tive que ligar pro meu pai ir pro hospital me encontrar. Cheguei lá podre de bêbada, tentando me fazer de sóbria. Me colocaram em uma cadeira de rodas e eu fiquei tentando fazer drift. Quando a enfermeira foi me levar para fazer o raio-x, eu ficava gritando: ‘UH, PODE CORRER, A BÊBADA NÃO TEM MEDO DE MORRER’.”

6 – Uma boa forma de fechar com chave de ouro:

“Há 12 anos, eu morava na Espanha. Numa viagem a Ibiza com as amigas, caí no erro de beber vinho rosé e aceitar shots de tequila no fim do jantar. Tínhamos ingressos para uma festa muito concorrida (e cara), comprados com antecedência. Chegando na discoteca, ninguém me segurava: comecei a dançar agarrada nos pilares tipo stripper, vomitei num sofá… Tiveram que me tirar dali. Perdi a festa, paguei mico e paguei uma fortuna para o táxi me levar ao hotel e à amiga que me acompanhou de volta para a balada. Acho que foi a última vez que bebi.”

7 – Bêbado adora um hospital, né?

“Eu já estava na calçada do bar, apoiada num hidrante, madrugada, falava que ia embora e todo mundo pedia para eu ficar mais. Estava lá basicamente sentada no hidrante, contando uma história, levantei porque me empolguei, no que fui voltar para me encostar no hidrante, calculei errado a bunda e dei de cabeça no chão. Acabei desmaiando, cortei a cabeça e fui parar no hospital, e a carona foi de um total estranho (mas acompanhada por um amigo).”

8 – A visita que se fez mesmo em casa:

“Essas coisas de cair, passar mal e fazer besteira eu sou mestre, mas teve um dia que eu bebi demais. Tenho mania de dormir pelada em casa, e eu fui dormir na casa do meu melhor amigo. Estava com calor e bêbada e acordei no meio da noite e tirei a roupa. Ele me deu um blusão dele para vestir. Em algum momento eu fui ao banheiro e não voltei pro quarto, mas fui acordada pela mãe dele porque eu estava dormindo embaixo da mesa de jantar só de calcinha e blusão. E o pior: não me lembrava disso no outro dia, mas ela lembrava! Até hoje sou a Suzy que dormiu de calcinha embaixo da mesa .”

9 – Mais afundada que o Titanic:

“Eu fui a uma boate no Espaço XV no RJ, e tenho que pegar uma barca para ir e voltar de lá. Bebi tudo que podia e fui trêbada para o banheiro. Naquele cai-não-cai pra sentar no vaso já com a meia calça arriada, alguém abre a porta da cabine com tudo em mim e eu caí dentro do vaso todo sujo e a porta CAIU em cima de mim, com as pernas arreganhadas, e eu para dentro do vaso imundo. Passei o resto da noite com cheiro de mijo porque só podia ir embora quando a barca abrisse.”

10 – A preparação que não adiantou de nada:

“Eu nunca tinha dado PT antes. Cheguei na festa junina da faculdade, comi as comidinhas primeiro, e aí fui beber. Enfim, o caos: cerveja quente, Corote de procedência duvidosa, shot com minha professora, e a última coisa que eu lembro é pensar: ‘acho que vou beber uma aguinha’. Enfim, chorei no meio fio e vomitei na casa da minha amiga (chorando por estar dando esse trabalho).”

11 – Provando que o álcool não afeta a fidelidade:

“Em um réveillon, fui para a casa de uns amigos com a minha namorada. Depois de beber um pouco mais que devia, acabei dormindo no chão da rua e minha namorada veio me acordar. Me contaram que eu briguei com ela falando: ‘Não mexe comigo, eu só quero minha namorada’. Aí, segundo ela, fiquei lá caído mais uns minutos, ela voltou e aí sim eu concordei com ela em voltar pra casa e para cama.”

12 – Bêbado insistindo que não sente dor:

“Bebi que nem uma desgraçada, de estômago vazio, caí que nem um saco de batata no chão e machuquei o pé. Na hora, estava doendo mas não era nada demais. Meu amigo ficou preocupado e durante três dias ficou insistindo pra me levar no médico. Acabei indo com ele e e tinha fraturado o pé em dois lugares diferentes.”

13 – Manda bala e pau dentro:

“Fui pro aniversário de um amigo. Cheguei mais cedo na casa dele, a festa seria às 19h e comecei a beber vodka por volta do meio-dia. Uma hora um cara chegou com uma cachaça chamada ‘Pau dentro’, cheia de ervas e umas raízes. Como já estava bêbado, comecei a tomar várias doses dessa bebida. Tudo certo, todos descemos pro salão de festas na hora da festa. Só lembro de ter entrado no elevador, foi como se passasse por um portal, e a partir daí esqueci de absolutamente tudo. Pelos relatos que recebi, fiquei muito falante, fiz amizade com uma galera, falei para as pessoas que meu amigo tinha contratado gogo boys – que não tinha contratado – e ficou todo mundo esperando o show que nunca aconteceu. Me contaram que uma hora comecei a vomitar no salão de festas e desmaiei. Acordei no outro dia todo vomitado, no chão do meu banheiro, sem dignidade e sem conseguir me mexer. Passei muitos dias de ressaca física e moral. Até então achava balela essa história de amnésia alcoólica, e também nunca mais bebi cachaça, ainda mais um diabo com nome de ‘Pau dentro’.”

14 – Uma viagem para uma das maiores belezas naturais do país:

“Fui num congresso em Foz do Iguaçu há mais de 10 anos com uma amiga. A dose do whisky estava dois reais e eu lembro exatamente de levarmos 50 reais cada. Íamos embora a pé pro hotel, mas tinha que descer uma ladeira, e rolamos ladeira abaixo. Ralamos perna, braço, quebrei meus óculos, mas conseguimos chegar. No outro dia a ressaca foi tão forte que a gente teve que pedir atendimento no posto do aeroporto. Até hoje não posso sentir nem o cheiro de whisky.”

15 – Deu para sentir o cheiro de erro de longe:

“Eu estava bebendo em casa com uns amigos, onde é mais seguro, e eu não queria sair de lá de jeito nenhum. Já tinha avisado que queria só beber em casa e eles queriam ir beber em um bar. Acabou que perto da meia-noite fiquei bêbado e saí com eles – porque aceito tudo quando bebo. Pula pro bar, lá continuei a beber mais com eles, tudo divertido. O bar fechou, ganhei uma cerveja do dono e fomos pra uma praça perto desse bar. Lá tinha uma rampa de skate, e me desafiaram a subir nela pela parte da rampa. Lá foi o bêbado: na primeira tentativa não consegui, na segunda consegui. Lembro de comemorar a vitória e depois já acordei no hospital, com agulha no braço e totalmente desnorteado. Acontece que eu subi, comemorei, caí pra trás de cabeça no chão e desmaiei. Depois de acordar no hospital eu simplesmente decidi que tinha que ir embora, arranquei tudo e fugi. Sangue jorrando, parecia até filme. No outro dia senti dor de cabeça como nunca tinha sentido na vida, e, como se não bastasse, perdi o olfato. Hoje, quase 3 anos depois, só tenho parcialmente o olfato e o um dos maiores arrependimentos da minha vida que foi ter saído de casa naquele dia.”

16 – E, por último:

“Um belo dia de verão, eu fui para o bar sem comer antes. Caiu minha pressão, fiquei com calor e DESMAIEI DE CARA na pia do bar. Quando acordei, minha amiga estava segurando meus pés para cima e meu amigo estava pedindo uma porção de batata frita com muito sal. Saldo do rolê: uma fratura por dentro da gengiva, resina em 3 dentes que lascaram e canal em um deles que morreu na hora.”


Compartilhe com os seus amigos!

Share via
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Send this to a friend