68 melhores parlendas do Folclore brasileiro


Share via

68 melhores parlendas do Folclore brasileiro

As Parlendas são rimas infantis que divertem as crianças, ao mesmo tempo que trabalham com a memorização e a fixação de alguns conceitos. Segundo estudiosos, as parlendas servem como sistemas educativos que fazem parte da literatura popular oral e do folclore brasileiro.

#1

Chuva e sol, casamento
de espanhol.
Sol e chuva, casamento
de viúva.

#2

Meio dia,
Panela no fogo,
Barriga vazia.
Macaco torrado,
Que vem da Bahia,
Fazendo careta,
Pra dona Sofia.

#3

Uni, duni, tê,
Salamê, mingüê,
Um sorvete colorê,
O escolhido foi você!

#4

Trinta dias tem setembro
Como abril, junho e novembro
De vinte oito só há um.
E os demais são trinta e um.

#5

Enganei um bobo
Na casca do ovo!

#6

Seu Chico Bode
É um homem de pagode.
Foi por fogo no cachimbo
Pegou fogo no bigode.

#7

Olha o sapo dentro do saco
O saco com o sapo dentro
O sapo batendo papo
E o papo do sapo soltando vento

#8

No varal de uma sereia
Que se chama Mariana
Vejo um vestido de seda
Prateado de escama.

#9

O tempo perguntou pro tempo,
quanto tempo o tempo tem.
O tempo respondeu pro tempo,
que o tempo tem o tempo que o tempo tem.

#10

Papagaio loiro do bico dourado,
Mande essa cartinha para o meu namorado.
Se estiver dormindo bata na porta,
Se estiver acordado deixa recado.

#11

Lá vem o pato.
Pata aqui, pata acolá.
Lá vem o pato.
Para ver o que é que há.

#12

Sapo Cururu
Na beira do rio
Quando o sapo canta,
É porque tem frio

#13

Se o papa papasse papa,
Se o papa papasse pão,
Se o papa tudo papasse,
Seria um papa-papão.

#14

Atrás da pia tem um prato, um pinto e um gato.
Pinga a pia, apara o prato, pia o pinto e mia o gato

#15

Janela, janelinha,
Porta, Campainha
Trimmmmmmmmmmmmm!

#16

Meu galinho quando dorme
Fica numa perna só
De manhã sacode as asas
Faz assim coró co có.

#17

Lé com lé
Cré com cré
Um sapato em cada pé

#18

Lá vem a lua nascendo
Redonda que nem caroço
Quero que você me diga
Se caranguejo tem pescoço

#19

Com quem você pretende se casar?
Com loiro, moreno, careca, barrigudo
Mocinho, bonito do meu coração
Rei, capitão, soldado, ladrão?

#20

Um, dois, feijão com arroz
Três, quatro, feijão no prato
Cinco, seis, falar inglês
Sete, oito, comer biscoitos
Nove, dez, comer pastéis.

#21

Dedo mindinho,
Seu vizinho,
Pai de todos,
Fura bolo,
Mata piolho.

#22

Batatinha quando nasce,
Se esparrama pelo chão,
Menininha quando dorme,
Põe a mão no coração.

#23

Sol e chuva,
Casamento de viúva.
Chuva e Sol,
Casamento de espanhol.

#24

Lá na rua vinte e quatro,
a mulher matou um sapo
com a sola do sapato.
O sapato estremeceu,
a mulher morreu,
o culpado não fui eu.

#25

Galinha choca,
comeu minhoca,
saiu pulando,
que nem pipoca.

#26

Meio-dia
macaco assobia
panela no fogo
barriga vazia.
Meio-dia
macaca Sofia
fazendo careta
pra Dona Maria.

#27

Suco gelado
cabelo arrepiado.
Qual é a letra
do seu namorado?

#28

O Papagaio come milho,
periquito leva a fama.
Cantam uns e choram outros
triste sina de quem ama.

#29

Tá com frio?
Toma banho no rio.
Tá com calor?
Toma banho de regador.

#30

Rei, capitão,
soldado, ladrão.
Moça bonita
do meu coração.

#31

Eu sou pequenininha,
do tamanho de um botão.
Carrego papai no bolso
e mamãe no coração.

#32

Lá em cima do piano
tinha um copo de veneno.
Quem bebeu, morreu
o azar foi seu!

#33

Fui à feira comprar uva,
encontrei uma coruja.
Eu pisei na cauda dela,
me chamou de cara suja.

#34

Cadê o toucinho que estava aqui?
O gato comeu.
Cadê o gato?
Foi pro mato.
Cadê o mato?
O fogo queimou.
Cadê o fogo?
A água apagou.
Cadê a água?
O boi bebeu.
Cadê o boi?
Foi carregar trigo.
Cadê o trigo?
A galinha espalhou.
Cadê a galinha?
Foi botar ovo.
Cadê o ovo?
O frade comeu.
Cadê o frade?
Tá no convento.

#35

O macaco foi à feira,
não sabia o que comprar.
Comprou uma cadeira
pra comadre se sentar.
A comadre se sentou,
a cadeira esborrachou.
Coitada da comadre,
foi parar no corredor.

#36

Corre cutia, na casa da tia.
Corre cipó, na casa da avó.
Lencinho na mão, caiu no chão.
Moça bonita, do meu coração.
Um, dois, três!

#37

Hoje é domingo, pede cachimbo
Cachimbo é de barro, dá no jarro
O jarro é fino, dá no sino
O sino é de ouro, dá no touro
O touro é valente, dá na gente
A gente é fraco, cai no buraco
O buraco é fundo, acabou-se o mundo!

#38

Santa Luzia
Passou por aqui
Com seu cavalinho
Comendo capim.
Santa Luzia
Que tinha três filhas:
Uma que fiava,
Uma que tecia,
Uma que tirava
O cisco que havia.

#39

Pedrinha rolou,
Pisquei pro mocinho,
Mocinho gostou.
Contei pra mamãe,
Mamãe nem ligou.
Contei pro papai,
Chinelo cantou.

#40

Eu sou pequena
Da perna grossa.
Vestido curto,
Papai não gosta.

#41

A casinha da vovó
cercadinha de cipó.
O café está demorando
com certeza não tem pó.

#42

Quem cochicha,
o rabo espicha.
Come pão
com lagartixa.

#43

Serra, serra, serrador
Quantas tábuas já serrou?
Um, dois, três, quatro.

#44

Una,
duna,
tena,
catena,
solá,
soladá,
gurupim,
gurupá,
conta bem,
que são dez.

#45

A vovó da Mariazinha
fez xixi na panelinha
e falou pra todo mundo
que era caldo de galinha.

#46

Uma pulga na balança
deu um pulo e foi à França.
Os cavalos a correr,
os meninos a brincar,
vamos ver quem vai pegar.

#47

Subi na roseira,
quebrou um galho.
Segura (nome da criança)
senão eu caio.

#48

Fui andando pelo caminho.
Éramos três,
comigo quatro.
Subimos os três no morro,
comigo quatro.
Encontramos três burros,
comigo quatro.

#49

Palma, palminha,
palminha de Guiné
pra quando papai vié.
Mamãe dá a papinha,
vovó bate cipó,
na bundinha do nenê.

#50

Entrou pela perna do pato,
saiu pela perna do pinto.
O rei mandou dizer
que quem quiser
que conte cinco:
Um, dois, três, quatro, cinco.

#51

Pinto pelado
caiu do telhado,
perdeu uma perna,
ficou aleijado.

#52

Agá, agá,
a galinha quer botar.
Ijê, ijê,
minha mãe me deu uma surra fui parar no Tietê.
Alô, alô,
O galo já cantou.
Amarelo, amarelo,
fui parar no cemitério.
Roxo, roxo,
fui parar dentro do cocho.

#53

Quem é?
É o padeiro.
E o que quer?
Dinheiro.
Pode entrar,
que eu vou buscar
o seu dinheiro
lá embaixo do travesseiro.

#54

Tique-taque
carambola
esse dentro
esse fora.

#55

Chuva, choveu
goteira pingou.
Pergunte ao papudo
se o papo molhou.

#56

Era uma bruxa
à meia-noite
em um castelo mal-assombrado
com uma faca na mão
passando manteiga no pão.

#57

Quem vai ao ar,
perde o lugar.
Quem vai ao vento,
perde o assento.
Quem vai à ribeira,
perde a cadeira.

#58

A galinha do vizinho
bota ovo amarelinho.
Bota um, bota dois, bota três,
bota quatro, bota cinco, bota seis,
bota sete, bota oito, bota nove,
bota dez!

#59

João corta o pão,
Maria mexe o angu,
Teresa põe a mesa,
para a festa do Tatu.

#60

Salada, saladinha
bem temperadinha
com sal, pimenta.
Fogo, foguinho, fogão!

#61

Boca de forno.
Forno!
Tira o bolo.
Bolo!
Se um mestre mandar?
Faremos todos!
E se não for?
Bolo!

#62

Papagaio louro
do bico dourado
mande essa cartinha
para o meu namorado.
Se estiver dormindo,
bata na porta.
Se estiver acordado,
deixa recado.

#63

Bão, babalão,
Senhor Capitão.
Espada na cinta,
ginete na mão.
Em terra de mouro
morreu seu irmão,
cozido e assado
no seu caldeirão.

#64

A sempre-viva quando nasce,
toma conta do jardim.
Eu também quero arranjar
quem tome conta de mim.

#65

Fui passar na pinguelinha,
chinelinho caiu do pé.
Os peixinhos reclamaram:
Que cheirinho de chulé!

#66

Por detrás daquele morro,
passa boi, passa boiada.
Também passa moreninha,
de cabelo cacheado.

#67

Tropeiro fala de burro,
vaqueiro fala de boi,
jovem fala de namorada,
velho fala que foi.

#68

Fui ao botequim
tomar café.
Encontrei um cachorrinho
de rabinho em pé.
Sai pra fora, cachorrinho,
que eu te dou um pontapé!


Compartilhe com os seus amigos!

Share via
guest
1 Comentário
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Rodrigo Blank D
1 ano atrás

não tem sangue e morte? perdi meu tempo. vou ver datena

Send this to a friend